O uso (ou não) da inteligência artificial para escritório de advocacia é um tema que tem se tornado recorrente no meio jurídico. Também, não há como ser diferente.

Nos últimos anos, o número de empresas de tecnologia que trabalham no desenvolvimento de soluções tecnológicas para a advocacia aumentou muito. E a grande maioria utiliza inteligência artificial para oferecer softwares mais robustos e realmente capazes de contribuir para os resultados dos escritórios de advocacia. Não há só uma, mas várias razões para isso.

A primeira delas é que soluções desenvolvidas com inteligência artificial podem ser treinadas para aprender qual é a necessidade do escritório e depois realizar a atividade por conta.

Na prática é quase como ensinar alguém a ler e depois direcionar onde ela precisa procurar essas palavras. Primeiro, a pessoa aprende as letras. Depois, ela junta essas letras e entende que, unidas, elas formam a palavra INDENIZAÇÃO. Então, é ensinado para ela que essa palavra aparece nos processos judiciais e que é lá que ela precisa procurar para trazer as informações referentes a indenização.

Conforme realiza esse trabalho de busca e retorno das pesquisas, a inteligência artificial passa a entender que existem vários tipos de indenização. Dessa forma, aprende um pouco e cada vez mais sobre o tema.

Depois de estar bem treinada, torna-se capaz de ler em segundos uma quantidade incontável de processos e localizar no meio de tantos documentos, aqueles que contém o texto que foi treinada para reconhecer.

Para os escritórios de advocacia, isso representa vários ganhos.

Ganhos da inteligência artificial para escritório de advocacia

Para começar, antes de a inteligência artificial para escritórios de advocacia surgir, os recursos tecnológicos disponíveis para os negócios jurídicos permitiam que se fizesse apenas a gestão de processos, a organização de tarefas e do financeiro.

A principal mudança nesse cenário é a automatização e sistematização das rotinas e tarefas pertinentes ao escritório de advocacia.

O advogado não precisa mais ler as intimações se ele não quiser. Há soluções de inteligência artificial que podem proceder essa leitura e distribuir os prazos. Dependendo do número de intimações recebidas diariamente, isso pode representar um ganho de uma hora ou mais por dia. Em uma semana, é praticamente um dia de trabalho que se ganha apenas por deixar uma tarefa repetitiva a cargo de uma inteligência artificial para escritório de advocacia.

E esse não é o único ganho do qual o escritório pode dispor. Soluções com esse tipo de tecnologia podem identificar e classificar alterações nos processos e, com base nisso, determinar a fase em que o processo está, além de quanto tempo provavelmente levará para ser concluído.

Informações como essa permitem ao escritório de advocacia ter maior domínio sobre a gestão dos processos e das tarefas que a equipe jurídica terá de desempenhar no período. Mais que isso, possibilita a definição das melhores estratégias para o caso de haver probabilidade de perda em uma ação.

Aliás, essa é outra informação que soluções tecnológicas com inteligência artificial podem coletar facilmente e gerar para o escritório: a probabilidade de êxito ou não em um processo, com base na análise de julgamentos anteriores.

Essa é uma informação valiosa para escritórios de advocacia. Principalmente porque, com isso, conseguem gerenciar com mais eficiência a expectativa do cliente. Além de provar com dados as causas de um possível insucesso.

E esses nem são todos os ganhos possíveis do uso de inteligência artificial no escritório de advocacia.

Oportunidades da inteligência artificial para advocacia

1. Aumentar a carteira de clientes

Hoje em dia, as pessoas estão muito habituadas a usar a tecnologia. Até por considerar que enviar uma mensagem ou um áudio no WhatsApp é muito mais rápido do que fazer uma ligação ou aguardar o retorno de um e-mail.

Outro comportamento que as pessoas valorizam muito é atualização e modernização. Então, uma vez que já tem um bom relacionamento com a tecnologia e que reconhecem a eficiência do seu uso, a tendência é que considerem o advogado que dispõe de tecnologia para desempenhar suas tarefas um profissional inovador, que poderá ajudá-la de forma mais eficaz.

Sendo assim, a tecnologia demonstra ser um investimento a ser considerado para ampliar a atuação do escritório no mercado jurídico.

2. Agilidade para resolver disputas

Soluções de inteligência artificial desenvolvidas com qualidade são fontes de informações seguras para embasar os processos.

A noção sobre prazos, teses jurídicas com maior índice de êxito em casos específicos e varas com maioria de decisões favoráveis são algumas das informações que podem ser coletadas por intermédio da inteligência artificial e colaborar para a eliminação dos impeditivos que fariam os processos levar mais tempo que deveriam para obter um posicionamento do Judiciário.

3. Gestão dos dados do escritório

Por fim, são os dados que possibilita ao escritório ter um real conhecimento de como o Judiciário se comunica. Extrair essas informações de forma didática e estratégica para a tomada de decisão é uma das funções da inteligência artificial.

Afinal, a tecnologia bem implementada oferece indicadores que podem ser olhados como um mapa do que já é feito e do que ainda é preciso fazer.

Concluindo: a inteligência artificial é útil e um diferencial competitivo para muitos escritórios.